Ao chegar na entrada do Palácio do Alvorada, onde costuma conversar com apoiadores, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi surpreendido por uma ex-apoiadora que lhe cobrou mais sensibilidade em relação às mortes decorrentes da Covid-19.
O boletim do Ministério da Saúde indica que 739.503 pessoas testaram positivo para o novo coronavírus e 38.406 vidas já foram perdidas, 1.272 delas contabilizadas nas últimas 24 horas. “Nós temos hoje 38.406 mortos por causa do Covid (…), não são 38 mil de estatística, são 38 mil famílias que estão morrendo nesse momento, 30 mil pessoas que estão chorando e o senhor, como chefe da nação…
Eu votei no senhor, eu fiz campanha pra o senhor, faz tempo que o senhor me conhece e eu sinto que o senhor traiu a nossa população”, desabafou a mulher, identificada como Cris Bernart. Ela é assessora do vereador da cidade de São Paulo, Fernando Holiday (Patriota), e membro do Movimento Brasil Livre (MBL), que hoje faz oposição a Bolsonaro e planejou o protesto em frente ao Alvorada. Para realizar o ato, Cris pediu licença não remunerada do gabinete, o que consiste no desconto do salário pelo dia de trabalho perdido com a ida a Brasília.


Fonte: Bahia Notícias