Descoberta genética vai auxiliar em criação de repelente mais eficaz contra o Aedes aegypti

8

Cientistas americanos descobriram o gene que faz com que o mosquito Aedes aegypti detecte os ácidos do cheiro humano e encontre assim suas vítimas. A descoberta vai auxiliar na criação de repelentes mais eficazes contra esses grandes transmissores de doenças.

“Agora podemos usar essa informação para entender como os mosquitos encontram as pessoas. Assim, podemos desenvolver novos cheiros que bloqueiem ou alterem os odores que atraem o mosquito”, explicou à Agência EFE Matthew DeGennaro, o chefe da equipe da Flórida International University (FIU), responsável pelo estudo.

A pesquisa identificou o gene IR8a, e o apontou como um receptor olfativo que funciona junto a outros para a detecção dos ácidos na pele humana pelos mesquitos. Os resultados do estudo foram publicados na revista Current Biology.

Segundo o Estadão, os mosquitos Aedes aegypti, ao contrário de outras espécies, são “especializados em humanos”. Os machos se alimentam de néctar, mas as fêmeas precisam se alimentar de sangue humano para se reproduzir. Sem isso, não podem pôr ovos, explicou DeGennaro.