Abaixa Que é Tiro, da banda Parangolé, é a música vencedora da Pesquisa Bahia Folia 2019, da TV Bahia

51
Crush Blogueirinha, de Léo Santana, garantiu o segundo lugar, e a polêmica Fábio Assunção, de La Fúria, ficou em terceiro

Nem o jogador Neymar, que se recupera de uma contusão, e a atriz Bruna Marquezine, que deu o que falar no Carnaval de Salvador, resistiram e foram até o chão quando Tony Salles, 38 anos, entoou o refrão “Deixa ela passar/ Maravilhosa/ Abaixa que é tiro” na Avenida.

Abaixa Que é Tiro, da banda Parangolé, é a música vencedora da Pesquisa Bahia Folia 2019, da TV Bahia, que há 26 anos elege o hit que faz a cabeça dos foliões nos circuitos da festa. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (7) pela emissora. A música conquistou 65,7% dos eleitores, desbancando hits como Crush Blogueirinha, de Léo Santana, que garantiu o segundo lugar; e a polêmica Fábio Assunção, de La Fúria, que ficou em terceiro lugar. A TV Bahia não divulga números de votantes.

Na pesquisa, coordenada pelo P&A Instituto de Pesquisa, a música gravada por Tony Salles e composta por Rodrigo Martins, Ed Nobre e Markos Lima, foi a mais votada pelos internautas e foliões que curtiam a festa popular nos principais circuitos. A decisão leva em conta a votação no site do Bahia Folia e uma pesquisa de rua – realizada entre a terça de Carnaval (5) e a quarta-feira (6) de Cinzas.

Ao saber do resultado, o vocalista Tony Salles disse ao CORREIO que a felicidade era tanta que não cabia no peito. “É ver um sonho de mais de 20 anos realizado. É uma felicidade gigantesca. Porque a gente trabalha o ano inteiro, procura fazer bons CDs, lançar boas músicas, mas o nosso xodó é o Carnaval. E, quando chega o Carnaval, todo artista sonha com isso – em ter o trabalho reconhecido e ganhar o prêmio de ‘música do Carnaval’. Quando isso não acontrece por tanto tempo, a gente fica um pouco frustrado. Vivi muitos anos esperando por isso”, conta ele, rouco após a loucura de shows da folia.

Para o músico, o grande diferencial do hit foi a coreografia, feita pelo dançarino Dam Fernandes, e divulgada no canal oficial da FitDance“A música vive de fato quando tem uma boa coreografia. Principalmente no caso da gente, que faz pagodão. A nossa música é alegre, sacode e, às vezes, a gente não conta com uma letra foda, como as de Caetano (Veloso). Na maior parte das letras, a gente deixa apenas uma mensagem e nessa tem a do empoderamento feminino, ao enaltecer a mulher. De certa forma tem um enredo: essa mulher é maravilhosa, é um tiro. Mas, é claro, sempre é um conjunto de tudo: do balanço, da letra, do ritmo, do arranjo, etc”, completa.

E, por falar em pagodão, desde 2014 os baianos elegem músicas do gênero na Bahia Folia. Naquele ano, Psirico venceu com Tem Xenhenhem. Já em 2016 foi a vez do ‘trá, trá, trá’ – a Paredão Metralhadora, da Banda Vingadora, que ganhou os ouvidos e quadris dos foliões. Em 2017, o ‘gigante’ Léo Santana levou o prêmio com Santinha. A Bahia Folia 2018 premiou Elas Gostam (Popa da Bunda), de Psirico e Àttooxxá. “Pagode está sendo o ritmo do Carnaval e isso é sinônimo de felicidade pra gente. Por mais que sejamos de Salvador e de levantarmos as bandeiras do axé e do arrocha, ainda assim a gente vai estar entregue ao nosso gênero, que é o pagodão. É o ritmo de cinco anos atrás e não deixa de ser o ritmo do momento”, completa Tony.

Ele, inclusive, se prepara para o Encontro de Gigantes, em parceria com Xanddy, da Harmonia do Samba, e Léo Santana, que acontece no dia 1º maio, na Arena Fonte Nova. “É um projeto ousado. A gente só estava esperando o Carnaval acabar para divulgar. Será um palco gigantesco, em que as três bandas vão ficar posicionadas. A gente interage em algumas músicas e outras cantamos sozinhos”, antecipa.

Tony Salles, Xanddy e Léo Santana
(Foto: Heder Nunez/Divulgação)

Também em conversa com o CORREIO, Tony contou que sua equipe não estava apostando na música, mas ele tirou uma outra faixa de seu DVD, O Som que Vem da Rua – gravado em outubro e lançado em janeiro – para colocá-la. “Coloquei ela no lugar de outra e estávamos trabalhando Open Bar. Mas, quando lançamos o DVD no YouTube, em cinco dias Abaixa Que é Tiro começou a se destacar mais do que as outras. E, no primeiro show que fiz, quando abri a boca a galera começou a cantar. Então eu realmente vi que tinha algo diferente. No final de janeiro, a gente resolveu a assumir o filho”, lembra.

Em tempos de internet, o artista considera que o fato da canção ser mais nova o ajudou a bater as concorrentes: “Eu lançei Open Bar no meio do ano passado e logo depois Léo lançou Crush Blogueirinha. Então essas músicas já estavam meio batidas no Carnaval e a galera novidade do pagode nessa época”.

(Foto: Evandro Veiga/CORREIO)

Música chiclete
O cantor também fez questão de agradecer aos compositores Rodrigo Martins, Ed Nobre e Markos Lima, “que conseguiram engrandecer as mulheres na letra”. “Eles me mandaram uma seleção de dez músicas e estavam um pouco desacreditados porque foi tomaram muito ‘não’ de outros artistas. Eu escutei com carinho e curti pra caramba. Esse prêmio também é deles”, fala.

Mas esse não é o primeiro sucesso dos compositores que bombaram na voz de artistas consagrados. Rodrigo Martins e Ed Nobre já fizeram canções para a banda Psirico e para Wesley Safadão, respectivamente. Rodrigo escreveu Psiquiatra do Bumbum, de Wesley Safadão com participação de Léo Santana, e Hipnotizou, do grupo Harmonia do Samba, também com participação do gigante. Entre as criações de Nobre estão as músicas Comando, do Harmonia; Firme e Forte, Mexe o Balaio e Arerê Geral, da Psirico, e Balacubaco, da Parangolé.

De acordo com o diretor de jornalismo da TV BahiaEurico Meira, a Bahia Folia integra o projeto de cobertura do Carnaval baiano realizado pela TV Bahia e consagra anualmente os grandes clássicos da maior festa de rua do planeta. “A gente conseguiu avançar mais um passo neste ano e colocamos nossa cobertura em um novo patamar. Foi muito rica não só de qualidade de conteúdo como de quantidade de horas e matérias”, afirma.

Eurico Meira avalia a cobertura da TV Bahia no Carnaval como positiva
(Foto: Mauro Akin Nassor/Arquivo CORREIO)

No período da folia momesca, foram 48 reportagens exibidas em programas nacionais, como Jornal Nacional e Jornal Hoje –  um aumento de 27% em comparação ao ano passado. “A gente ficou pelo menos seis meses pensando nisso. É a nossa maior cobertura. É a nossa Copa do Mundo. São pelo menos 400 profissionais envolvidos, sendo 250 pessoas trabalhando diretamente na transmissão. Além da cobertura orgânica em nossas atrações, também tivemos flashes nacionais e quase 14 horas de transmissão ao vivo, de sexta (1º) a terça-feira (5)”, acrescenta.

Entre as novidades que a TV Bahia trouxe neste ano, Meira destaca a ampliação do estúdio no circuito Dodô (Barra-Ondina) e a inclusão de 12 quadros ao longo das transmissões – incluindo um com Carlinhos Brown e outro com Marrom, em que o jornalista e colunista do CORREIO contava suas histórias inusitadas de Carnaval. “Também tivemos câmeras exclusivas que acompanharam o trajeto completo dos trios nos principais circuitos”, pontua.

História
Nas suas 26 edições, a Pesquisa Bahia Folia premiou sucessos carnavalescos como Cadê Dalila, de Ivete Sangalo; Maimbê Dandá, de Daniela Mercury; e Latinha, da Timbalada. Confira todos os vencedores desde 1994.

1994: Olodum, Requebra
1995: Araketu, Araketu é Bom Demais
1996: Timbalada, Margarida Perfumada
1997: Daniela Mercury, Rapunzel
1998: Timbalada, Latinha
1999: Bom Balanço, Juliana
2000: Chiclete com Banana, Cabelo Raspadinho
2001: Braga Boys, Uma Bomba
2002: Ivete Sangalo, Festa
2003: Chiclete com Banana, Voa Voa
2004: Daniela Mercury, Maimbê Dandá
2005: Rapazolla, Coração
2006: Vixe Mainha, Café com Pão
2007: Asa de Águia, Quebra Aê
2008: Psirico, Mulher Brasileira (Toda Boa)
2009: Ivete Sangalo, Cadê Dalila
2010: Parangolé, Rebolation
2011: LevaNóiz, Liga da Justiça
2012: Banda Eva, Circulou
2013: Filhos de Jorge, Ziriguidum
2014: Psirico – Lepo Lepo
2015: Psirico – Tem Xenhenhem
2016: Banda Vingadora – Paredão Metralhadora
2017: Léo Santana – Santinha
2018: Psirico e Àttooxxá, Elas Gostam – Popa da Bunda
2019: Parangolé – Abaixa Que é Tiro